Novidades tecnológicas e novos medicamentos foram destaques do ERHRE 2012, realizado no início de julho em Istambul, Turquia

Dr. Lister de Lima Salgueiro, coordenador da área de Reprodução Humana da Criogênesis, esteve presente ao Congresso da Sociedade Européia

Estufas mais completas e equipamentos “espiões”, como o Embryoscope - que filma por 24 horas ininterruptas o desenvolvimento do embrião até seu terceiro dia - foram importantes novidades apresentadas no “Eshre 2012 – Congresso da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia”, com o intuito de garantir melhores taxas de gravidez às clínicas de reprodução assistida.

 “Esses equipamentos facilitam a escolha dos melhores embriões, eliminam a necessidade de transferência de vários deles ao útero, reduzindo os índices de gravidez múltipla, o que é muito bom”, explica o Dr. Lister de Lima Salgueiro, renomado especialista em reprodução humana, ginecologista e andrologista, responsável pela área da Criogênesis.

 Durante o Congresso Europeu também foi anunciada a chegada de um novo medicamento, o Elonva (hormônio folículo-estimulante), que vem se mostrando mais eficiente para o sucesso dos tratamentos. No ESRHE foram ainda apresentados novos meios de cultura que aumentam a taxa de implantação do óvulo no útero e que muito em breve, segundo o Dr. Lister, estarão no mercado brasileiro.

 “Todas essas novidades serão agregadas rapidamente às opções de tratamentos disponíveis nas melhores clínicas brasileiras e resultarão em altas taxas de gravidez por reprodução assistida. Nos bons centros, de 100 casos 40 resultam em gravidez na primeira tentativa e 60 com duas tentativas. Mas as novidades científicas prometem melhores taxas de sucesso nos próximos anos”, informa Dr. Lister, que tem 27 anos de experiência na área de reprodução humana e 10 mil ciclos de tratamento, além de ser responsável pelo nascimento dos primeiros bebês de proveta das cidades de Sorocaba e Guarulhos (SP).

 No Brasil, na opinião do Dr. Lister Salgueiro, existe uma tendência de aumento contínuo na procura pela fertilização in vitro. Ele aponta para números que indicam esse provável crescimento: 

  • 1 em cada 5 casais é infértil (de 9 a 16 milhões no Brasil), sendo que destes 50% são candidatos a FIV.
  • Os serviços públicos – totalmente ou parcialmente gratuitos – têm filas de espera que podem chegar a quatro anos;
  • No Brasil, com uma população de mais de 190 milhões de habitantes são feitos apenas 25 mil ciclos por ano, enquanto que em países como Israel (com 25 milhões de habitantes) são feitos 25 mil ciclos por ano.
  • No Brasil existem apenas 174 clínicas de medicina reprodutiva, sendo que 50 delas estão no Estado de São Paulo e cerca de 30 na cidade de São Paulo.
  • Os preços do tratamento por ciclo estão mais acessíveis e existem programas de atendimento a casais de baixa renda. 

Criogênesis 

Conceituado banco de células-tronco de sangue de cordão umbilical, a Criogênesis decidiu ampliar sua atuação e incluir a medicina reprodutiva, com o objetivo de oferecer aos casais inférteis e aos especialistas em reprodução uma opção de tratamento com alta qualidade. A clínica oferece tratamentos globais, que incluem o uso de laboratórios de biotecnologia, tanques para preservação e centro cirúrgico.

Com essa nova área a Criogênesis passa a ser o primeiro laboratório do país a agregar todas as indicações ligadas à criopreservação com nitrogênio líquido-vapor.